Elementais da Água

[Elementais da Água][bleft]

Elementais da Terra

[Elementais da Terra][twocolumns]

Festival das Ninfas



É um festival que teve origem na Macedônia e homenageava esses elementais durante dois dias. 

 As Ninfas são espíritos da natureza-feminino e que habitam os lagos e riachos, bosques, florestas, prados e montanhas. Elas se apresentam como belas jovens na fase de adolescentes ou pré-adolescentes.

A palavra ninfa significa noiva, botão de rosa, velado dentre outras coisas. Apesar de serem consideradas divindades subalternas, são divindades às quais na Antiguidade prestava-se grande devoção e homenagem, e até mesmo temor. Apareciam muitas vezes como auxiliares de outras divindades, de ajudantes de certos deuses, ou mesmo de outras Ninfas de maior estatuto. Elas também aparecem em lendas onde o amor é o motivo central ou então num papel de mulher de um herói. 




Existem as Ninfas da terra ou do cultivo, das águas, as celestiais e também as Musas, filhas de Zeus e Mnemosine. 

O espírito das Ninfas é alegre, jovial. São sentimentais e muito puras. Mas apesar de terem aparência frágil e delicada elas são capazes de enlouquecer aqueles para os quais se mostram. 

Como estão na fase do desenvolvimento da personalidade podem ser acometidas por um entusiasmo exagerado e passarem essa exaltação para as pessoas. 

Uma dica para o dia de hoje é se cercar de objetos coloridos. Ou usar roupas coloridas para exalar a sensação de alegria ao seu redor. Acenda uma vela da cor que você mais gosta e um incenso de rosas também. 




MAGIA: 

Durante os dois dias, você pode realizar um ritual para as ninfas levarem alegria para sua casa. Coloque algumas pedras coloridas em uma bacia branca ou numa fonte, apague as luzes e deixe acesas algumas velas coloridas com aroma de rosas. Mentalize as ninfas dançando e pulando e entrando em seus olhos refletidos na água. 

Na mitologia grega, ninfas são qualquer membro de uma grande categoria de deusa -espíritos naturais femininos, às vezes ligados a um local ou objeto particular. Muitas vezes, ninfas compõem o aspecto de variados deuses e deusas, ver também a genealogia dos deuses gregos. São frequentemente alvo da luxúria dos sátiros. 

Em outros resumos as ninfas seriam fadas sem asas, leves e delicadas. São a personificação da graça criativa e fecundadora na natureza. Ninfa deriva do grego nimphe, que significa "noiva", "velado", "botão de rosa", dentre muitos outros significados. 

As ninfas são espíritos, geralmente alados, habitantes dos lagos e riachos, bosques, florestas, prados e montanhas. São frequentemente associadas a deuses e deusas maiores, como a caçadora Ártemis, ao aspecto profético de Apolo, ao deus das árvores e da loucura Dionísio, ao aspecto pastoreador de Hermes. Uma classe especial de ninfas, as Melíades, foram citadas por Homero como as mais ancestrais das ninfas. Enquanto as demais ninfas são normalmente filhas de Zeus, as Melíades descendem de Uranus. As ninfas estavam ligadas tanto à terra quanto à água, e eram classificadas segundo o lugar em que habitavam. 

 Existiam vários grupos delas, como, por exemplo, as: 





Náiades - ninfas aquáticas extremamente belas, que viviam em fontes e nascentes onde permitiam aos homens beber da água, mas não o banho, punindo os infratores com amnésia, doenças e até mesmo a morte. Possuíam o dom da cura e da profecia, e se dividiam em cinco famílias diferentes: 

Crinéias (fontes); 
Limneidas, ou Limnátides (lagos); 
Pegéias (nascentes); 
Potâmides (rios); e 
Eleionomae (pântanos). 




Oréades - ninfas que habitavam e protegiam as montanhas, as cavernas e as grutas. 



Dríades - ninfas associadas aos carvalhos. De acordo com lenda muito antiga, cada dríade nascia junto com uma determinada árvore, vivendo nela ou então em suas proximidades. Quando a sua árvore era cortada ou morta, a divindade também morria, mas os deuses freqüentemente puniam quem destruía uma árvore. A palavra dríade era também usada num sentido geral para as ninfas que viviam na floresta. 





Napéias - ninfas que até certo ponto se assemelhavam às Oréades, porque associadas a vales, colinas e depressões. Difíceis de serem avistadas, já que se escondiam atrás de pinheiros e outras árvores quando da presença humana, eram sofisticadas e acompanhavam a deusa Ártemis (Diana) em suas caçadas. Também faziam parte do cortejo de Febo, ou Apolo, deus do Sol e da Luz, quando este passava pelo céu com a sua carruagem. 



Hamadríades - ninfas que nasciam com as árvores e com as quais partilhavam o destino. Algumas lendas sustentam que elas poderiam viver “cerca de dez vidas de palmeiras”, ou 9.720 anos, enquanto outras falam do poder vingativo que usavam contra os que ameaçavam suas árvores; ou dos castigos que faziam recair sobre os que desdenhassem daqueles que as consideravam como intermediárias entre mortais e imortais, e por isso lhes dirigiam orações. 

Os nomes dessas ninfas foram usados por Karl Friederich Philipp von Martius, autor de Flora Brasiliensis, obra idealizada em sua maior parte entre os anos de 1840 a 1906, para identificar cinco coberturas florísticas (toda espécie vegetal que compõe a flora de uma região) existentes no Brasil, cada uma delas correspondendo, de modo geral, às regiões Norte, Centro-Oeste, Sudeste, Sul e Nordeste. Assim sendo, Naiádes, ninfas das águas, deu nome à Amazônia; Oréades, ninfas dos campos, aos Cerrados; Dríades, ninfas das florestas, à Mata Atlântica; Napéias, ninfas dos vales e prados, aos Campos Sulinos; Hamadriades, ninfas que morrem e ressurgem com as árvores que lhes servem de moradia, foi usada para nomear a Caatinga cuja vegetação ressurge após as chuvas. Mas alem delas também existiam outras. Como as: 




Oceanides - ninfas dos fundos inacessíveis do mar, das quais algumas se distinguiram, tais como Clímene, esposa do titã Jápeto, e Dione, amante de Zeus. Irmãs dos rios, eram, segundo Hesíodo, em número de três mil. 



Nereidas – essas 50 ou 100 filhas de Nereu, um deus marinho mais antigo que Netuno, habitavam o mar Egeu. Quase sempre representadas como sendo metade mulher e metade peixe, eram gentis e generosas, mostrando-se sempre prontas a ajudar os marinheiros em perigo. Viajavam sobre golfinhos ou cavalos-marinhos, trazendo na mão ora um tridente, ora uma coroa ou um galho de coral. 


Pegéias - que habitavam as nascentes. Um grupo delas foi responsável pelo rapto de Hilas. Quando os Argonautas fizeram uma escala na Mísia, Hilas se afastou para procurar água e não voltou. É que tendo se aproximado de uma nascente, as pegéias, extasiadas com sua beleza, arrastaram-no para as profundezas das águas. 




Plêiades - ou Atlântidas, são filhas de Atlas, o titã condenado a carregar a terra sobre os ombros. Elas eram sete - Maia, Electra, Taígeta ou Taígete, Astérope ou Asteropo, Mérope, Alcíone e Celeno) -, que cansadas de serem perseguidas implacavelmente pelo caçador Orion, pediram ajuda aos deuses e foram transformadas numa constelação

http://naturezadeluanegra.blogspot.com.br/
Poste Um Comentário
  • Blogger Comente usando Blogger
  • Facebook Comente usando Facebook
  • Disqus Comente usando Disqus

Nenhum comentário :


Oráculos

[Oráculos][threecolumns]

Cristais

[Cristais][grids]

Elementais

[Elementais][list]

Animais de Poder

[Animais de Poder][bsummary]